Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Suecos buscam novos parceiros para o programa do Gripen NG, como o Chile


O ministro da Defesa da Suécia, Peter Hultqvist, em encontro com jornalistas brasileiros na última quinta-feira (0611), em Estocolmo, declarou que a escolha brasileira deu maior visibilidade ao produto sueco no mercado mundial “Este é um acordo importante que estabelece uma nova relação entre os dois países pelos próximos 30 anos, já que o Gripen representa mais do que a venda de um caça, está relacionado à geração de empregos, de recursos e de tecnologias. O desenvolvimento conjunto dos aviões com o Brasil permitirá ainda a Suécia reduzir os custos de investimento no projeto, além de promover uma parceria promissora com a Embraer, uma das empresas aeronáuticas mais importantes do mundo”.

Os suecos buscam novos parceiros para o programa do caça e vem tentando uma aproximação maior na área de defesa com outros países da América Latina, como o Chile. Ainda no Brasil, também acontece à negociação para o envio de caças Gripen da geração atual C/D como interinos até as entregas dos primeiros Gripen NG. O comandante da Força Aérea Sueca (SwAF), general Micael Byden, evitou entrar em detalhes com as negociações em andamento. 

Em outra vertente, os suecos estudam a modernização de cinco exemplares existentes ou a substituição completa de seus transportes C-130 Hércules por aeronaves novas, sendo o KC390 uma opção oferecida pela EDS dentro do escopo dos contratos de off-set do programa Gripen NG.

Pilotos treinam na Suécia


A base aérea de Skarabor, conhecida como F7 wing, localizada na parte central da Suécia, e especializada na preparação dos pilotos de Gripen, receberá os dois primeiros brasileiros designados para voar a aeronave. O Brasil comprou 36 caças Gripen NG, a serem entregues a partir de 2019, por US$ 5,4 bilhões (R$ 13,4 bilhões). O contrato inclui 28 aviões monoplaces e oito aeronaves biplaces, para treinamento, e foi assinado no dia 24 de outubro em Brasília. O preço final é superior ao previsto em dezembro de 2013, época em que a proposta apresentada pela Saab era considerada a mais barata entre as concorrentes e estava em US$ 4,5 bilhões. A entrega inicial estava estipulada para 2018 e já foi realinhada para 2019. Segundo a FAB, os valores e prazos reajustados ocorreram devido a novos parâmetros exigidos pelo Brasil.

Imagens: Gino Marcomini / Oxygino Art 3D, y Frank Worwerk
( Infodefensa.com )

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]