Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Mectron assina contrato com Amazul para o PROSUB


A Mectron iniciará, no próximo ano, sua participação no projeto do Sistema Integrado de Gerenciamento da Plataforma (Integrated Platform Management System - IPMS) do submarino com propulsão nuclear que está sendo desenvolvido pela Marinha do Brasil, com assistência técnica do grupo francês DCNS. O IPMS é o sistema computacional com função de controlar e monitorar diversos equipamentos de submarinos.

O contrato celebrado entre a Mectron, empresa controlada pela Odebrecht Defesa e Tecnologia (ODT), e a Amazul contempla o apoio técnico nos serviços de engenharia para participação no desenvolvimento do IPMS. Com prazo de conclusão de dois anos, os trabalhos serão iniciados em fevereiro de 2015 e realizados por uma equipe de engenheiros da Mectron, juntamente com especialistas da Marinha. Os serviços serão realizados no escritório técnico de projetos e submarino localizado no CTMSP - Centro Tecnológico da Marinha, em São Paulo.

“Estamos orgulhosos por mais esta conquista e com a crescente participação da Mectron no PROSUB, assegurando o domínio tecnológico nacional não só para a estrutura dos submarinos, já sendo fabricada no país pela ICN, mas também para os complexos sistemas neles embarcados”, diz Gustavo Ramos, Diretor-Superintendente da ODT/Mectron.

Nos últimos meses, a Mectron foi certificada pela DCNS como a empresa brasileira fornecedora dos serviços de engenharia no desenvolvimento do Software do Gerador Diesel para o IPMS do submarino Scorpène, em atendimento ao contrato com a companhia francesa.

No primeiro semestre de 2014, foi realizado um treinamento de Manutenção do Sistema Integrado de Gerenciamento da Plataforma (Integrated Platform Management System - IPMS), na sede da DCNS na cidade de Ruelle, França, e contemplou atividades como procedimentos de qualidade, processo de desenvolvimento, teste de software e gerenciamento da configuração. Com uma programação mista entre aulas teóricas e atividades práticas reais, o curso foi focado na arquitetura do software e hardware, com apresentação do funcionamento detalhado do IPMS.

Com isto, a indústria nacional começa a adquirir o domínio da tecnologia do IPMS que será instalado nos submarinos da Marinha do Brasil. No processo de transferência de tecnologia com a empresa francesa DCNS, um dos grandes objetivos das autoridades brasileiras é que o conhecimento tecnológico seja retido no país, de modo a garantir independência, soberania e capacitação para novos desafios.

O Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB) da Marinha do Brasil, firmado no final de 2008 como parte do Acordo Estratégico Brasil-França, prevê a construção de quatro submarinos convencionais, um submarino de propulsão nuclear, um Estaleiro e uma Base Naval, em Itaguaí (RJ). O acordo prevê ainda que o submarino de propulsão nuclear seja totalmente projetado e construído no País.

Sobre a Mectron

Sediada em São José dos Campos, no estado de São Paulo, no maior polo da indústria aeroespacial do hemisfério sul, a Mectron possui mais de 20 anos de experiência e atua nos mercados de defesa e aeroespacial, desenvolvendo e fabricando produtos de alta tecnologia e altíssimo valor agregado, tanto para aplicações militares como civis.

Sobre a Odebrecht Defesa e Tecnologia

Criada em 2011, a Odebrecht Defesa e Tecnologia - ODT é uma empresa provedora de soluções inovadoras, que contribui para a autonomia tecnológica brasileira e das Forças Armadas nos desafios de garantir a soberania nacional e o desenvolvimento da indústria nacional de defesa.

A ODT tem participação em três empresas: Itaguaí Construções Navais (ICN), para a construção de submarinos convencionais e de propulsão nuclear do Programa Nacional de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB); Consórcio Baia de Sepetiba (CBS), responsável pelo planejamento, coordenação, gestão e administração das interfaces do PROSUB; e Mectron, voltada para o desenvolvimento e fabricação de produtos de alta tecnologia e sistemas complexos para usos militar e civil, como mísseis, radares, sistemas aviônicos, sistemas de comunicação, controle e comando, todos de última geração.

Sobre a Amazul

A Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. – Amazul foi constituída em 2013 com o objetivo de promover, desenvolver, transferir e manter tecnologias sensíveis às atividades do Programa Nuclear da Marinha (PNM), do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB) e do Programa Nuclear Brasileiro (PNB).

Sua missão primordial é apoiar o desenvolvimento do submarino de propulsão nuclear, tecnologia imprescindível para que o País exerça a soberania plena sobre as águas jurisdicionais brasileiras, a nossa Amazônia Azul.

Para cumprir seus objetivos, a Amazul pode estabelecer escritórios no  Brasil e no exterior, fazer parcerias e participar minoritariamente de empresas privadas e empreendimentos.

Odebrecht Defesa e Tecnologia (ODT)

Um comentário:

  1. De todos esses projetos os mais importantes além do sub nuc,o satélite é cem dúvida é o mais impotante,não adianta ter equipamentos novos se não o olheiro no ceu.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]