Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

domingo, 19 de abril de 2015

LAAD 2015 encerra com mais de 30 mil visitantes, expositores de 45 países e 158 delegações oficiais

A 10ª edição da LAAD Defense&Security acabou nesta sexta-feira (17): mais de 30 mil visitantes

Rio de Janeiro, 17/04/2015 – A 10ª edição LAAD Defence & Security 2015 atraiu cerca de 30 mil pessoas aos pavilhões do Riocentro, na zona oeste da capital fluminense. Durante os quatro dias da maior e mais importante feira dos setores de Defesa e Segurança da América Latina aconteceram seminários e workshop com temas sobre logística militar, guerra eletrônica e uso de Veículos Aéreos Não-Tripulados, mais conhecidos como drones.

De acordo com o balanço preliminar divulgado pela organização do evento, a feira contou com a participação de 600 expositores de 45 países. A participação da base industrial de defesa brasileira contou com 189 empresas. Foram 158 delegações oficiais de 71 países na feira. O ministro da Defesa, Jaques Wagner, que manteve conversas bilaterais com representantes de cerca de 10 países, destacou que a indústria de defesa “significa soberania e desenvolvimento tecnológico e industrial”.

Durante a LAAD, Jaques Wagner participou da cerimônia de assinatura de acordo firmado entre a Embraer e a sueca SAAB para permitir que engenheiros e pilotos brasileiros sejam treinados na Suécia. Num segundo estágio, esses profissionais irão desenvolver, na base de Gavião Peixoto (SP), o caça Gripen NG a ser exportado. Além de Wagner, assessores do ministério também trataram de assuntos sobre defesa com representantes de delegações estrangeiras.

A indústria de defesa mundial movimenta US$ 1,5 trilhão. Dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior indicam que o mercado nacional de exportação tem sido de US$ 3 bilhões por ano. De acordo com especialistas, há espaço para que esse volume chegue a US$ 15 bilhões nos próximos anos.

O presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (Abimde), Sami Hassuani, diz que o segmento exige profissionais de alta qualificação. Para ele, os projetos de defesa são intensivos e resultam em tecnologia de ponta e mão de obra com elevado índice especialização.

Esse mercado é responsável por 30 mil postos de trabalho diretos. Defesa e Segurança são segmentos industriais da maior relevância no mercado global, além de serem propulsores intensivos de avanços tecnológicos. Especificamente no Brasil, que representa 41,2% dos investimentos militares na América Latina, esses setores têm registrado crescimento nos últimos anos.

Com o lançamento da Estratégia Nacional de Defesa (END) em 2008, ressaltou-se a necessidade de modernização e reaparelhamento das Forças Armadas do Brasil, por meio de projetos estratégicos. Tal crescimento também foi evidenciado pela escolha do país para sediar grandes eventos esportivos internacionais.

“Com esse cenário, a 10ª edição da LAAD Defence & Security reafirma o evento como o principal ambiente para a disseminação do conhecimento, tecnologia e inovação no campo da Defesa e Segurança na América Latina”, afirma Sergio Jardim, diretor geral da Clarion Events Brasil, empresa organizadora da feira.

Tecnologia e serviços
 


Durante a semana, os visitantes que estiveram no Riocentro tomaram contato com o que há de mais moderno para tecnologia e serviços em mais de 20 setores das indústrias de defesa e segurança, tais como: armamento e munição; autenticação, controle de acesso e vigilância; construção em defesa e segurança; consultoria, treinamento e serviços; emergência, salvamento e resgate; engenharia aeronáutica; engenharia naval; equipamentos pessoais; ópticos e optrônicos; perícia criminal e forense; sistema de proteção QBRNe; tecnologia da informação e cyber security; transmissão, comunicação e posicionamento e veículos.

Programa de seminários
 


A LAAD Defence & Security 2015 contou também com um programa de seminários que reuniu referências nacionais e internacionais e as principais instituições dos segmentos de Defesa e Segurança. Estiveram na feira representantes do Ministério da Defesa, das Forças Armadas, do BNDES, do Banco do Brasil, do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), do Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB), da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), de empresas de logística, de segurança, telefonia e varejo.

O IV Seminário de Defesa LAAD teve como destaque os projetos estratégicos da Marinha, do Exército e da Força Aérea, a guerra eletrônica, o papel das instituições de fomento na indústria brasileira de defesa, entre outros temas.

Já o IV Seminário de Segurança LAAD abordou três grandes temas: Segurança Pública, Segurança Corporativa e Integração em Segurança. Ambos contarão com a presença de autoridades, especialistas e profissionais de segurança e defesa.

Segundo Sergio Jardim, os segmentos de Defesa e Segurança têm se diversificado e se adaptado às novas necessidades mundiais. “Pesquisa e desenvolvimento tecnológico são intensivos para essa indústria e o papel da LAAD Defence & Security é reunir e disseminar essas tecnologias e cases de sucesso, em um evento de grande abrangência”, completa o executivo.

Ministério da Defesa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]