Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

domingo, 24 de maio de 2015

Cães da FAB ajudam a localizar drogas, munições e explosivos


Reportagem do jornal Notaer destaca o uso de cães pelos Batalhões de Infantaria.

O faro de Hanna, cachorra da raça Pastor Belga Malinois, ajudou na detecção de 16 kg de maconha escondida em uma embarcação, em Manaus (AM). O olfato do animal, até 50 vezes mais apurado do que o de um homem, torna o trabalho de localização de drogas, explosivos e pessoas muito mais rápido e eficiente. O papel do cão junto ao militar se tornou fundamental e, por isso, a Força Aérea Brasileira já possui vários canis espalhados pelo país.

Na Base Aérea de Santa Maria (BASM), a Border Collie Cacau ajuda, junto com outros nove cães da mesma raça, no controle aviário do aeródromo, impedindo que quero-queros, a principal espécie de ave envolvida na colisão com aeronaves no sul do país, façam seus ninhos por ali.

Por todo o Brasil, unidades da FAB mantêm cães para missões de guarda e segurança, faro de drogas, munições e explosivos e patrulha das áreas de pousos e decolagens.

Cães farejadores têm sido usados na segurança de grandes eventos no Brasil. Durante os Jogos Pan-Americanos, em 2008, e a Copa do Mundo, em 2014, vários canis enviaram reforços para identificar entorpecentes e armamentos em aeroportos civis e militares. O combate ao tráfico de drogas é atividade diária desses animais, principalmente em regiões de fronteira, farejando bagagens e aeronaves.

Agência Força Aérea

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]