Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

domingo, 28 de junho de 2015

Portugal autoriza a compra de dois navios patrulha


Nos próximos meses, a Direção Geral de Recursos da Defesa Nacional (DGRDN) deverá contratar a construção de dois navios de patrulha oceânica do tipo NPO (Navio Patrulha Oceânico) aos estaleiros privados West Sea-Estaleiros de Viana, propriedade do conglomerado Português Martifer. Os navios serão idênticos às duas primeiras unidades da Classe Viana do Castelo, os NRP "Viana do Castelo" (P360) e NRP "Figueira da Foz" (P361) que servem hoje ativamente na Marinha Portuguesa. A empresa realizou trabalhos de reparação no NRP "Figueira da Foz" entre Setembro e Outubro de 2014, depois de este ter sofrido danos.

Para executar a construção dos navios e suportar os testes e apoio às futuras unidades, o governo já autorizou a realização de despesa no montante aproximado de 77 milhões de euros. As duas unidades deverão estar ao serviço da Marinha Portuguesa no início de 2018.

As duas primeiras unidades construídas pelos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) foram ambas lançadas à água em Outubro de 2005 e recebidas em Dezembro de 2010 e Novembro de 2013 respetivamente, exercem funções de autoridade marítima, realizam tarefas de interesse público nas águas de jurisdição nacional e outras missões de interesse nacional e de cooperação com outras forças. Nelas estão incluídas as operações de busca e salvamento marítimo; patrulha, fiscalização das atividades da pesca; prevenção e combate à poluição marítima; e prevenção e combate a atividades ilegais.

O programa inicial previa a construção de uma frota constituída por um total de seis navios NPO para permitir a substituição das corvetas das classes João Coutinho e Baptista de Andrade, e ainda duas unidades dedicadas ao combate à poluição e balizamento marítimo ou NCP/ABU e cuja contratualização foi celebrada mas a construção abandonada em 2012.

Os navios estão equipados com radares de navegação da Kelvin Hugues que operaram nas bandas I e F, o sensor eletro-ótico estabilizado em dois eixos Sagem Vigy 10 Mk III, propulsão da Wärtsilä, sistema integrado de gestão da plataforma da Rolls-Royce, sistema integrado de informações da Edisoft, um sistema integrado de comunicações da EID, uma estacão de armamento remotamente controlada OTO Melara MARLIN WS (Modular Advanced Remotely controlled Lightweight Naval Weapon Station) armada com uma peça automática de 30mm Orbital ATK Mk 44 Bushmaster, pontos de fixação nas asas da ponte, para as metralhadoras ligeiras, um sistema amovível na tolda para o lançamento de minas de profundidade Mk 55 Mod 2. O NPO oferece um deslocamento de 1870 toneladas, um comprimento de 83.1 metros de, uma boca de 12.9 metros, uma velocidade máxima de 20 nós, uma autonomia de 5000 milhas náuticas e é operado por uma guarnição constituída por 38 elementos.


(Defensa.com) (Victor M.S. Barreira)

Fotografia: navio patrulha NRP "Viana do Castelo" na Base Naval de Lisboa no passado dia 11 de Junho (Victor M.S Barreira).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]