Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

quinta-feira, 16 de julho de 2015

OTAN convida Rússia para “observar” seus maiores exercícios militares desde a Guerra Fria


A OTAN vai convidar a Rússia para ser um observador nos Trident Juncture 2015, maiores exercícios militares da aliança ocidental em mais de uma década, segundo disse o comandante das manobras, General Hans-Lothar Domröse, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (15).

"Nós convidamos observadores internacionais, não há nenhum segredo quando fazemos este exercício. Há um segredo sobre quais decisões eu tomarei, mas o resto é transparente, e as minhas decisões durante o exercício serão transparentes, uma vez que eu as tiver tomado. Então a Rússia e todos os outros que estão interessados (…) serão convidados", disse Domröse.

Em setembro de 2014, a OTAN se comprometeu a aumentar a prontidão de suas forças na Europa, particularmente ao longo da sua fronteira oriental com a Rússia. Na época, a aliança anunciou que iria enviar tropas para o Leste Europeu e os Estados bálticos.

A medida foi decidida em resposta à reunificação da Crimeia com a Rússia em março de 2014, que foi vista pelo Ocidente como indício de uma suposta agressão russa contra seus vizinhos, e como uma “ameaça” aos países membros da OTAN em geral.


Moscou tem repetidamente negado as acusações e advertiu que o acúmulo de armas e exercícios militares nas suas fronteiras é provocativo e pode desestabilizar a região.

Em junho, o presidente russo, Vladimir Putin, declarou que Moscou continua aberta à cooperação com seus vizinhos, e negou mais uma vez que o país tenha planos agressivos na condução de sua política externa.

O Trident Juncture 2015, maior exercício militar da OTAN desde o fim da Guerra Fria, será realizado na Itália, na Espanha e em Portugal, de 28 de setembro a 6 de novembro, com unidades terrestres, aéreas e navais e com forças especiais de 33 países (28 da OTAN e mais cinco aliados).

Mais de 35 mil homens, 200 aeronaves e 50 navios de guerra tomarão parte nas manobras, que também contarão com a presença de indústrias militares de 15 países interessados em suprir as eventuais demandas bélicas da aliança ocidental.

Sputnik

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]