Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Cada vez mais mulheres "voam" atrás do sonho de pilotar


Elas avançam em uma profissão que já foi quase que exclusivamente masculina

O número ainda é imensamente menor que o de homens mas, a cada década a presença de mulheres em cursos de formação de pilotos de avião e helicópteros vem avançando. Os números da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) comprovam isso: em 2000 foram emitidas 13 licenças de Piloto Comercial de Avião para mulheres e em 2012 esse número subiu para 59. No total, incluindo aviões e helicópteros, as mulheres receberam 711 licenças em 2000 e 10 anos depois, as licenças femininas praticamente dobraram, chegando em 1.376.

“Há 30 anos, era impensável ver uma mulher dentro da cabine de pilotagem e a tripulação era composta somente por comissárias de bordo, com muito charme e glamour. Atualmente, os papeis se inverteram e, tanto homens como mulheres, estão provando que não existem diferenças que impeçam a realização das tarefas”, comenta o coordenador do curso de Pilotagem do Centro Tecnológico Positivo, Fábio Augusto Jacob. Segundo ele, a tendência é que elas assumam o comando, assim como fizeram em outras tantas áreas.

Um bom exemplo é a curitibana Thais Caroline Zuccoli, aluna do curso de Pilotagem. Já formada em Enfermagem e descontente com a profissão, ela procurou no ar outra área de interesse. “Comecei o curso de comissária de voo em 2012 e logo me despertou a vontade de pilotar. Me formo no final do ano e não me imagino fazendo outra coisa”, conta.

Thais ainda divide os bancos da sala de aula onde 90% dos alunos são do sexo masculino, mas garante que a mudança está acontecendo — e com excelentes representantes. “É muito gratificante e surpreendente ver outras mulheres nas salas de aula, aeroclubes e nos cockpits. Eu e minhas colegas procuramos desempenhar a profissão da melhor maneira possível para alçar voos cada vez mais altos, em todos os sentidos”, afirma.

Olhada

Colega de Thais no curso do Positivo, Luísa Woehl também está perto de se formar, e conta como decidiu se tornar uma piloto. “Eu sempre gostei de olhar, de ver essas coisas. Meu pai sempre teve aviãozinho em casa. Mas nunca tinha pensado como profissão. Foi quando cheguei no terceirão (ensino medio), todas as profissões que eu procurava não gostava, não me via fazendo. Eu tinha um amigo que o tio era piloto, ele falou para eu dar uma olhada no curso. Estou adorando’, conta.

“Minha mãe sempre incentivou a gente a fazer o que nos fizesse feliz. Ela achou estranho, por não ser uma profissão muito comum, tanto para homem como para mulher, mas ela super me apoiou. Ela também tem um primo que é piloto, então foi tranquilo. Meu pai também adorou, ele sempre gostou bastante dessas coisas”.

Licenças em Atividade

Homens Mulheres Total
Piloto Privado – Helicóptero 246 6 252
Piloto Comercial – Helicóptero 1.077 21 1.098
Piloto de Linha Aérea – Helicóptero 772 11 783
Total de Pilotos de Helicóptero 2.095 38 2.133

Homens Mulheres Total
Piloto Privado – Avião 2.919 71 2.990
Piloto Comercial – Avião 5.720 99 5.819
Piloto de Linha Aérea – Avião 5.092 27 5.119
Total de Pilotos de Avião 13.731 197 13.928

Homens Mulheres Total
Comissário 2.818 6.185 9.003
Mecânico de Manutenção Aeronáutica 11.263 129 11.392

* Tabelas atualizadas em abril de 2015. Fonte: Anac

Bem Paraná.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]