Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Homem abre fogo em trem na França


Ao menos três pessoas ficam feridas, duas em estado grave, em trem que ia de Paris a Amsterdã. Detido por outros passageiros, atirador seria conhecido da inteligência francesa e teria kalashnikov na mala.

 Um homem armado abriu fogo em um trem de alta velocidade que viajava de Amsterdã a Paris, nesta sexta-feira (21/08), ferindo três pessoas antes de ser dominado por passageiros. Segundo um porta-voz do Ministério do Interior da França, ainda não é possível determinar os motivos por trás do ataque. "É muito cedo para falarmos de uma ligação terrorista", disse.

Segundo uma fonte policial citada pela agência AFP, um marroquino de 26 anos foi detido como principal suspeito. Em sua bagagem, teriam sido encontrados um fuzil kalashnikov e uma pistola automática, além de nove carregadores. Ele já seria conhecido dos serviços de inteligência

"Tudo está sendo feito para esclarecer este drama e para obter todas as informações necessárias sobre o que aconteceu", disse o presidente da França, François Hollande, em comunicado.


Um porta-voz da companhia ferroviária estatal francesa SNCF disse que das três pessoas, duas ficaram gravemente feridas, sendo ao menos uma delas baleada. Entre os feridos estariam um americano e um britânico, além do ator francês Jean-Hugues Anglade, que sofreu apenas lesões leves.

 O atirador foi preso depois que o trem parou na estação da cidade francesa de Arras, no norte do país. "Os passageiros estão seguros. A situação está sob controle", garantiu a operadora de trens Thalys, através de sua conta oficial no Twitter.

Em consequência do ataque, o ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, seguiu para Arras.

Em seu site, o Thalys afirmou que vários trens sofreram atrasos após a "intervenção das forças de segurança na estação de Arras". O Thalys é uma rede de trens de alta velocidade de propriedade conjunta das empresas ferroviárias nacionais de Bélgica, França e Alemanha.

A França está em alerta desde janeiro, quando extremistas islâmicos atacaram a redação do semanário satírico Charlie Hebdo e um supermercado judaico, na capital francesa. Em junho, um homem decapitou seu chefe e tentou explodir uma usina de gás no sul da França, num ataque que promotores afirmam ter sido inspirado na organização jihadista "Estado Islâmico" (EI).

DW - Deutsche Welle,

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]