Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Militares do Esquadrão Gordo treinam sobrevivência no gelo


Exercício faz parte da preparação dos tripulantes que realizam voos para a Antártida.

Como sobreviver em um ambiente de temperaturas polares? Para responder a essa pergunta, sete militares do Esquadrão Gordo (1º/1º GT), unidade da Força Aérea Brasileira que presta apoio logístico aéreo ao Programa Antártico Brasileiro, realizaram um exercício de sobrevivência em El Colorado, a cerca de 700 km ao sul da capital do Chile. O curso foi ministrado pela Força Aérea Chilena.

“O mais básico para eles, é muito importante para nós”, explica o Capitão Diego Nascimento de Oliveira, comparando as diferenças climáticas entre o Rio de Janeiro, onde o Esquadrão Gordo é sediado, e o clima da Cordilheira dos Andes no sul do Continente Americano.





Os militares aprenderam duas técnicas sobre como construir abrigos, Acervo pessoalcomo iglus, para permanências curtas e longas na neve. Uma delas consiste em comprimir camadas de neve e depois cavar uma abertura de entrada. “Nesse dia, a temperatura estava em torno de -10°. Demoramos quase quatro horas para finalizarmos a construção do iglu para quatro pessoas, mas valeu a pena, depois de pronto a temperatura em seu interior era de aproximadamente 3°”, detalha o capitão sobre o local onde eles passaram a noite.

Para verificar o grau de oxigênio dentro do iglu, eles mantêm duas velas acesas. “Enquanto tiver ar, elas queimam. Se apagarem, precisamos sair”, afirma.

A outra técnica de abrigo é mais simples. Consiste em cavar um buraco na neve e cobrir com lona. “Mas não fica tão quente como no iglu”, compara o Capitão Diego, que fará o primeiro voo para o continente gelado em outubro.

Além das técnicas de sobrevivência no gelo, os militares realizaram exercícios de deslocamento na neve, utilizando botas, raquetes e ski. "Recebemos várias instruções teóricas e realizamos treinamentos práticos de ensinamentos que podem ser fundamentais na eventualidade de um acidente ou permanência em locais de baixas temperaturas”, relata o piloto, que integra o Esquadrão Gordo desde 2012.

Saiba mais - Os militares que realizaram o curso, que aconteceu entre 9 e 15 de agosto, integram o quadro de tripulantes antárticos da unidade aérea. São eles que operam a aeronave C-130 Hércules nos voos de reabastecimento da Estação Antártica Brasileira. O treinamento agrega conhecimentos fundamentais para os tripulantes no caso da necessidade de realização de um pouso forçado durante as missões.

Assista ao FAB em Ação e compreenda os desafios de voar no continente gelado para prestar apoio logístico ao Programa Antártico Brasileiro:




Fonte: 1º/1ºGT

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]