Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Esquadrão de comunicações e controle passa a atuar em Porto Velho (RO)

FAB transfere unidade de comunicações e controle para a região amazônica.

Mudança atende Estratégia Nacional de Defesa e incrementa atuação das Forças Armadas na região amazônica.

O Esquadrão Zagal (5º/1º GCC), responsável por operar um radar de aproximação que atua na vigilância do espaço aéreo brasileiro, está em fase de conclusão da mudança de Fortaleza (CE) para a Base Aérea de Porto Velho (BAPV), em Rondônia. A mudança de sede segue as diretrizes da Estratégia Nacional de Defesa, de 2008, que coloca a região amazônica como prioridade das Forças Armadas.


Segundo o Comandante do Esquadrão, Major Regilânio Isaias Aguiar de Melo, embora o radar PAR 2000 T seja móvel, a sede não é indiferente. Estar alocado junto a uma unidade operacional de defesa aérea, além de colaborar no treinamento dos controladores de tráfego aéreo, também contribui para a segurança de voo nas aproximações para pouso em caso de condições meteorológicas adversas. Os esquadrões que compõem a BAPV são o Grifo (2º/3º GAV), que opera A-29 Super Tucano, e o Poti (2º/8º GAV), dos helicópteros AH-2 Sabre.

“A presença do 5º/1º GCC no extremo oeste brasileiro é importante para aumentar a cobertura e a vigilância do espaço aéreo do País. Nossa mudança para Porto Velho pode ser considerada um reforço na união de esforços com outros órgãos relacionados ao controle do espaço aéreo”, afirma o Major Aguiar.

Devido à mobilidade, a função primordial do radar do Esquadrão Zagal é o deslocamento para áreas onde há uma necessidade pontual de controle. Nesses locais, não existe cobertura de radar devido à quantidade reduzida de tráfego. Em ocasiões como operações militares, grandes eventos ou exercícios operacionais, um dos Grupos de Comunicações e Controle se mobiliza para atender. É o que deve acontecer, por exemplo, durante as Olimpíadas Rio 2016, quando haverá um fluxo maior de tráfego aéreo em determinados locais.

Aparelhamento da região amazônica - Nos últimos anos, outras organizações da Força Aérea Brasileira (FAB) seguiram o mesmo caminho rumo à região amazônica.

Em 2010, o Esquadrão Poti (2º/8º GAV) saiu de Recife (PE) para a Base Aérea de Porto Velho (BAPV), quando recebeu os helicópteros AH-2 Sabre, concebidos especificamente para missões de ataque. No mesmo ano, houve a transferência do Esquadrão Pacau (1º/4º GAV), que opera aeronaves de caça F-5, para a Base Aérea de Manaus (BAMN). Já em março de 2015, o então Ministro da Defesa, Jaques Wagner, inaugurou o Destacamento de Aeronáutica de Eirunepé, município de 30 mil habitantes localizado a 1.160 km de Manaus.


Agência Força Aérea 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]