Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Engenheiros iniciam testes de alinhamento da antena de comando do SGDC

Equipamento será responsável por enviar comandos ao satélite brasileiro em órbita.

Iniciaram nesta terça-feira (19), os testes de alinhamento dos cerca de 40 painéis da antena de comando do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGCD). O equipamento instalado em Brasília (DF), dentro da área do Sexto Comando Aéreo Regional (VI COMAR), teve a fase de montagem encerrada na semana passada (12/01).


Os testes, que devem durar duas semanas, são realizados pelos engenheiros da fabricante, Thales Alenia Space, e também envolvem estudo de fotogrametria. As imagens são registradas à noite e posteriormente verificadas em software. Os resultados são usados para avaliar o alinhamento da antena para futuramente captar o sinal do satélite. Todo o processo é acompanhado por profissionais da Visiona Tecnologia Espacial [joint-venture composta pela Embraer (51%) e Telebras (49%)], Ministério da Defesa e Telebras.


De acordo com a Telebras, a fase de montagem, além de muito importante dentro do processo de instalação da Estação de Controle do SGDC, é um trabalho muito delicado e difícil de ser implementado por se tratar de uma antena de alto desempenho. A instalação necessita ser bem sucedida uma vez que os requisitos técnicos de apontamento são bastante rígidos.

A antena tem 18 metros de altura, 13 metros de diâmetro e pesa 42 toneladas será usada para controlar o SGDC. O satélite, que será lançado ainda este ano, ficará posicionado a uma distância de 36 mil quilômetros da superfície da Terra, cobrindo o território brasileiro e o oceano Atlântico. Uma segunda antena auxiliar no comando do satélite será montada no centro de operações secundário, localizado no Rio de Janeiro.


O terceiro estágio do projeto satélite envolve as plataformas de comunicação e estações de acesso (gateways), de interligação do sistema. Ao todo, serão cinco estações em Brasília, Rio de Janeiro, Florianópolis, Salvador e Campo Grande.

Todas as obras de solo do SGDC serão erguidas em áreas militares. As instalações dessas estações deverão ser concluídas no segundo semestre de 2016.

Neste mês, o SGDC está em fase de testes na cidade de Cannes, na França. Em dezembro passado, os módulos de comunicação e serviço foram integrados.

Cerca de 30 brasileiros, entre militares e civis de diversas instituições envolvidas no projeto, acompanham o processo, que envolve transferência de tecnologia. A partir de março, os profissionais que vão operar o satélite terão os treinamentos finais no centro de operações em Brasília.

SGDC - O satélite vai operar nas chamadas banda X e Ka. Em relação à primeira, trata-se de uma faixa de frequência destinada exclusivamente ao uso militar, correspondendo a 25% da capacidade total do satélite. A banda Ka terá capacidade de 54 Gbit/s será usada para ampliar a oferta de banda larga pela Telebras. O satélite pesa 5,8 toneladas e vai garantir conexão banda larga nos municípios mais distantes do País. Ele irá reforçar a rede terrestre da Telebras, atualmente com 28 mil km de extensão, presente em todas as regiões brasileiras.

O projeto é uma parceria entre os ministérios da Defesa (MD), das Comunicações (MC) e da Ciência e Tecnologia (MCTI) e envolve investimentos da ordem de R$ 1,7 bilhão.

A previsão de lançamento é para o segundo semestre deste ano e de operação no início de 2017. Após um período de ajustes e de testes, o satélite começará a sua operação comercial no início de 2017.


Agência Força Aérea    

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]