Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Aeronáutica realiza 1,2 mil inspeções em voo em 2015.

Aeronáutica realizou mais de 1,2 mil inspeções de auxílios à navegação em 2015.

Entre as ações, está a homologação de procedimentos de saída e chegada das áreas terminais de BSB, BH e SP

Em 2015, o Grupo de Inspeção em Voo (GEIV) realizou 1.220 inspeções de auxílios à navegação em aeródromos brasileiros. O balanço inclui os voos de homologação dos procedimentos de chegada e saída na reestruturação das áreas de controle terminal de Brasília, São Paulo e Belo Horizonte. As modificações estruturais foram realizadas para ampliar a capacidade de circulação de aeronaves.


“Houve um acréscimo no número de inspeções em função das melhorias no sistema de controle do espaço aéreo. As novas tecnologias que possibilitam voo com trajetórias mais curtas e economia de combustível, por exemplo, trazem benefícios para os usuários. Cada implementação efetuada precisa ser homologada”, explica o comandante do GEIV, Tenente-Coronel Marcelo de Lima Pinheiro.

O oficial se refere aos novos procedimentos que envolvem as novas tecnologias implementadas no controle do espaço aéreo, como a navegação baseada em performance (PBN) que marcaram o trabalho da unidade no ano passado. Além disso, o número abrange todas as inspeções periódicas de rotina e as efetuadas após manutenção dos equipamentos de solo, além de voos de homologação para a implantação de novos auxilios, como radares e equipamentos utilizados em procedimentos de aproximação por instrumento ou visual.


“Estamos garantindo a confiabilidade dos auxílios. Utilizamos equipamentos e processos de inspeção de padrão internacional, estabelecidos pela ICAO [Organização da Aviação Civil Internacional]”, afirma. “Uma maneira segura de voar dentro do espaço aéreo brasileiro”, complementa.

O GEIV é responsável por medir, aferir e calibrar equipamentos auxiliares à navegação aérea instalados em aeroportos de todo o País. Para este ano, o foco de homologação está na ampliação do PBN para a região Sul, envolvendo as principais áreas terminais da região.

Legacy 500 – O GEIV está na expectativa de receber o primeiro Legacy 500 no primeiro semestre deste ano. A aeronave laboratório vai ampliar a capacidade embarcada e permitir que o Brasil realize com plena autonomia a homologação de procedimento de aproximação nos aeroportos chamado de RNP-AR (Required navigation performance). O procedimento de aproximação faz parte do conceito de navegação baseada em performance.

As novas aeronaves-laboratório vão substituir os atuais IC-95 Bandeirante, vão trazer diversos ganhos operacionais às tripulações. Esse vai ser o único avião do mundo com tecnologia “fly by wire” (comandado eletronicamente) a ser utilizado para inspeção em voo. O papel também será eliminado da cabine: o check list dos pilotos será feito através de um tablet.

Inspeção em voo – A data de 21 de fevereiro marca, desde 1959, a primeira inspeção em voo realizada no Brasil com tripulação e aeronave nacionais. Cinquenta e sete anos após este feito histórico, a unidade da Força Aérea Brasileira que deu continuidade à missão foi o GEIV, sediado no Rio de Janeiro.


Agência Força Aérea 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]