Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

terça-feira, 21 de junho de 2016

Marinha apresenta ao Ministro da Defesa o emprego dos meios navais nos Jogos Olímpicos Rio 2016


Fragata “União” será um dos meios utilizados pela Marinha do Brasil nos Jogos Olímpicos

A Marinha do Brasil (MB), por meio da Coordenadoria de Defesa Setorial Copacabana, apresentou ao Ministro da Defesa Raul Jungmann, no dia 2 de junho, detalhes de como será o emprego dos meios navais e aeronavais nas áreas onde vão ocorrer as competições dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

Na reunião realizada na Coordenadoria Geral de Defesa Setorial, a dois meses do início das Olimpíadas no Rio de Janeiro, o Coordenador de Defesa Setorial Copacabana, Vice-Almirante Leonardo Puntel, mostrou detalhes do planejamento da Marinha do Brasil para sua área de jurisdição, a fim de que as competições transcorram em segurança.

Nos locais de responsabilidade da Marinha vão acontecer as competições de Vôlei de Praia, Triatlo, Ciclismo de Estrada e Maratona Aquática (Copacabana); Vela Olímpica (Marina da Glória); Remo e Canoagem (Lagoa Rodrigo de Freitas); e Maratona (Aterro do Flamengo).

Para cumprir a missão durante os Jogos Olímpicos, que começam no dia 5 de agosto, a Marinha do Brasil empregará 72 meios navais e aeronavais, como, por exemplo, navios-escolta e patrulha, lanchas, motos-aquáticas e aeronaves. “Assumimos a nossa tarefa com muita responsabilidade e competência”, disse o Ministro da Defesa Raul Jungmann.

O Grupo-Tarefa Marítimo será constituído por meios e militares do Comando da Primeira Divisão da Esquadra, do Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Sudeste e da Capitania dos Portos do Rio de Janeiro, com funções de controlar o tráfego aquaviário e impedir a entrada de embarcações não autorizadas nas áreas de competição.

A Marinha do Brasil irá contribuir para a segurança das estruturas estratégicas, e poderá atuar, em caso de necessidade, como Força de Contingência e apoio à Defesa Civil. Para essas atribuições, utilizará o Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais, que empregará dois Carros Lagarta Anfíbio e nove veículos blindados. Além disso, existe a participação do Centro de Coordenação Tático Integrado, que conduzirá ações de conscientização e enfrentamento ao terrorismo.

Marinha do Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]