Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Operação Sabre reúne militares de esquadrões de caça para treinamento



Anápolis sedia operação para combate de guerra eletrônica.

Treinamento reúne mais de 500 militares em cenários de combate.

A Base Aérea de Anápolis (BAAN) sedia, até o dia 30 de junho, a Operação Sabre, com a participação dos esquadrões de F-5M, A-1, E-99 e R-99. Cerca de 560 militares estão envolvidos em missões de defesa aérea, ataque ao solo e reconhecimento dentro de um contexto fictício de conflito. O treinamento, organizado pela Terceira Força Aérea (III FAE), visa capacitar as equipes de combate para atuar em cenários de conflitos simulados.


Para que o treinamento seja o mais realista possível, é feita a simulação de conflito entre dois países que lutam por uma área de litígio que, temporariamente, encontra-se sob domínio militar. A força amiga é denominada Blue Force e as de oposição, Red Force, que cria um contexto de ameaça. Depois de esgotadas todas as possibilidades de soluções diplomáticas, é autorizada a intervenção militar do país azul contra o vermelho, com objetivo de obter o controle sobre o território invadido.

Todo o contexto enfrentado numa guerra real será simulado, como ações de defesa aérea, ataque, controle e alarme em voo, escolta, reabastecimento em voo, reconhecimento aéreo, varredura, vigilância e controle do espaço aéreo e defesa antiaérea. O objetivo é que os esquadrões avaliem as táticas de desempenho frente a um inimigo e o emprego de armamentos simulados.

"Mais importante que o treinamento e o adestramento das equipagens operacionais é o conceito da eficiência obtida em cada hora de voo, de acordo com os preceitos doutrinários e a busca pela eficiência do sistema de armas. Portanto, o aproveitamento deste exercício para a fundamentação doutrinária, bem como o aprimoramento da capacidade de pronta-resposta de nossos pilotos dependerão da manutenção do foco, busca ininterrupta da eficiência em cada procedimento realizado, por parte de todos os envolvidos”, declara o Brigadeiro do Ar Fernando Almeida Riomar, comandante da III FAE.

BVR – Terminou nessa quarta-feira (15/06), na Base de Anápolis, a Operação BVR. Do inglês Beyond Visual Range, que significa além do alcance visual, o treinamento possibilitou que militares dos esquadrões de caça aprimorassem técnicas de lançamento de mísseis a grandes distância com auxílio de radares.

Pela primeira vez, foi aplicado o conceito de ameaça simulada, de forma a definir claramente quais são as equipagens a serem treinadas pelo país azul e quais os pilotos darão o suporte ao treinamento do país vermelho.

Fonte: FAE III
Edição: Agência Força Aérea

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]