Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Marinha encerra grupamentos de segurança da Olimpíada e Paralimpíada


Tropas que atuaram na segurança dos jogos olímpicos em cerimônia de encerramento de operação

Em cerimônia realizada no dia 20 de setembro, no Comando da Divisão Anfíbia, na Ilha do Governador (RJ), foi anunciada a desativação dos Grupamentos Operativos de Fuzileiros Navais que formaram o Grupo-Tarefa (GT) Terrestre e o Centro de Coordenação Tático e Integrado do CDS- Copacabana, do Grupamento Operativo de Defesa Antiaérea e do Centro de Coordenação Tático e Integrado do CDS-Salvador, que atuaram como força de contingência na segurança dos jogos olímpicos e paralímpicos.

A solenidade foi presidida pelo Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, Vice-Almirante (FN) Alexandre José Barreto de Mattos, acompanhado do Comandante do 1o Distrito Naval, Vice-Almirante Leonardo Puntel, e demais militares.

O GT Terrestre cumpriu atribuições de ações preventivas e repressivas contra eventuais ameaças ou situações que comprometessem a segurança do evento olímpico. Os militares foram distribuídos nas Unidades Tarefas Olímpicas: Lagoa, Copacabana e Marina, e receberam, ainda, efetivos dos Distritos de Natal, Belém, Rio Grande, Ladário e Manaus.

Além do GT Terrestre, a Força de Fuzileiros de Esquadra constituiu um Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais de Defesa Antiaérea, responsável pela defesa do Parque Olímpico, do Parque dos Atletas, do Riocentro e da Vila Olímpica, na Barra da Tijuca.

Os Centros de Coordenação Tático Integrado do CDS-Copacabana e o de Salvador tiveram como propósito potencializar o esforço interagências de enfrentamento ao terrorismo durante os jogos.

Foram vários meses de treinamento, adestramento, preparação e planejamento, que resultaram num balanço positivo de encerramento dos trabalhos.

Para o Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra a atuação das tropas cumpriu o seu papel. ”Tive a oportunidade de percorrer os locais onde nossos militares desempenhavam as suas tarefas. Foi uma satisfação imensa ver os comandantes sempre presentes nos pontos de concentração. O que podemos constatar é que a missão foi muito bem cumprida”, finalizou.

Marinha do Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]