Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Brasil quer exportar equipamentos de defesa para Índia


Entre os produtos apresentados estavam o Gripen NG, Super Tucano e o KC-390.

O Brasil quer abrir o mercado indiano para produtos da indústria de defesa nacional. O presidente Michel Temer se reuniu com o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, para tratar essencialmente de comércio e investimentos nesta segunda-feira, 17. De acordo com o ministro das Relações Exteriores, José Serra, que integra a comitiva brasileira, Temer falou com Modi sobre possíveis exportações de equipamentos de defesa para a Índia. “No caso de transporte aéreo, temos o caça sueco (Gripen NG) que vai ser produzido no Brasil e o Super Tucano que é um avião de treinamento, temos um outro que serve para transporte de tropas (citando o KC-390)”, afirmou.


O chanceler destacou também que há possibilidades entre os dois países na aviação comercial, com a Embraer. Há interesse de empresas indianas em comprar mais aeronaves comerciais. “É uma coisa [na área]privada, mas que o governo aqui tem peso”, disse Serra.


Em seu discurso após o encontro, Temer disse que o mercado indiano pode ajudar o Brasil no seu “processo de transformação”. “A retomada de crescimento econômico requer presença ativa no Brasil, não só internamente, mas nos principais mercados do mundo. Entre eles, evidentemente, a Índia”, disse o presidente, que convidou Modi para uma visita ao Brasil no próximo ano.

SEGURANÇA CIBERNÉTICA

O premiê indiano também disse que o Brasil está entre “os parceiros econômicos mais importantes na América Latina”. “Fizemos progresso abrindo novas áreas de cooperação durante essa visita em regulação de medicamentos, pesquisa agrícola e segurança cibernética“, afirmou.

Serra repetiu que o comércio com a Índia pode triplicar nos próximos anos, principalmente por causa da complementaridade das duas economias. “Eu fiz uma continha assim: se o Brasil tivesse com a Índia a mesma proporção das exportações que faz para a China, triplicaria, porque a complementaridade da economia indiana e da economia brasileira é até maior que a complementaridade entre a economia chinesa e a brasileira, inclusive na área de alimentos”, afirmou. A balança comercial entre Índia e Brasil é de US$ 7,9 bilhões.

Fonte: Indústria de Defesa & Segurança com inf. de Folha de SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]