Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

General Ajax destaca futuras ações na Missão das Nações Unidas no Haiti



Brasília, 13/10/2016 - O comandante da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (Minustah), general Ajax Porto Pinheiro, informou que as futuras ações desempenhadas pelo contingente brasileiro no país caribenho serão de ajuda humanitária. O furacão Matthew atingiu a região sul do país, no início do mês, com ventos de até 240 quilômetros por hora, destruindo casas, arrancando postes, árvores e antenas. Cerca de mil pessoas morreram e milhares ficaram desabrigados.


Após deslocar 570 militares brasileiros integrantes da Infantaria e de tropas da Companhia de Engenharia do Exército, além de Fuzileiros Navais, para a região mais afetada pelo furacão, o general Ajax destaca que os militares agora atuam em várias frentes, bem como na segurança de comboios humanitários. “Na última terça-feira (11), um grande comboio com 25 caminhões abastecidos com suprimentos seguiu até a cidade de Jeremie”, contou.

Na próxima sexta-feira (14), uma aeronave Hércules, da Força Aérea Brasileira (FAB), parte de Brasília para levar material de apoio aos desabrigados pelo furacão Matthew, no Haiti. Serão enviadas 75 barracas com área útil de 25 metros quadrados cada, doados pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) do Ministério da Integração.

Na segunda-feira (17), outro avião transportará cerca de 10 toneladas de donativos, angariados pela Rede de Solidariedade ao Haiti, sob a coordenação do Ordinariado Militar do Brasil. Em Porto Príncipe, terão o apoio da Cruz Vermelha haitiana e do BRABAT para executar o transporte até a Instituição Sagrado Coração de Jesus, que atende mais de mil pessoas, entre adultos e crianças.

Além disso, os militares da Minustah ainda trabalham na segurança dos campos de pouso de helicópteros. As tropas de Engenharia atuam na recuperação de eixos parcialmente destruídos, como estradas e pontes. O general brasileiro, que comanda o componente militar, ressalta que ainda há muitas comunidades isoladas. “Desde o dia seguinte da passagem do furacão, a nossa engenharia tem atuado nessas frentes e refeito ligações que são fundamentais para a chegada do apoio humanitário”, destacou.

Ainda com foco na ajuda humanitária, as tropas da Minustah também realizam a segurança das ONGs que transportam mantimentos. “Estamos fazendo também segurança de transporte de gêneros e embarcações, que é algo inédito para nós. Como várias comunidades estão no litoral, nós estamos levando gêneros diretamente aos pequenos portos dessas comunidades”, esclareceu o general.

Nesta semana, será enviada uma equipe do hospital argentino para ficar mais próxima dos militares brasileiros e poder prestar apoio na área de saúde. O general avalia que haverá um aumento do número dos casos de cólera, dengue, zika, dentre outras epidemias, que deverão vir após a passagem da tempestade tropical.

Desde o ano de 2004, as tropas brasileiras participam da Minustah e atuam nas áreas mais violentas do país caribenho, além de prestar apoio às atividades de assistência humanitária e de fortalecimento das instituições nacionais daquele país.

Ministério da Defesa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]