Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Ala 3 é ativada em Canoas (RS)



Nova unidade operacional da FAB é ativada em Canoas (RS)

O Quinto Comando Aéreo Regional e a Base Aérea de Canoas foram desativados

Uma cerimônia militar realizada nesta quinta-feira (15/12) marcou a ativação da Ala 3, nova unidade operacional, que abrangerá atividades de defesa aérea, patrulha e transporte. A Ala substitui a Base Aérea de Canoas (BACO) e o Quinto Comando Aéreo Regional (V COMAR), desativados na mesma ocasião. A ação faz parte do programa de reestruturação administrativa e operacional da Força Aérea Brasileira (FAB) cujo principal objetivo é concentrar serviços e direcionar investimentos para a atividade-fim.

Compõem a Ala 3 um grupo especializado em segurança e defesa, três esquadrões de voo, além de unidades jurisdicionadas que atuarão no controle de tráfego aéreo e defesa antiaérea. O comando da nova unidade está a cargo do Major-Brigadeiro do Ar Jeferson Domingues de Freitas, antes comandante do V COMAR.

Cerca de 300 pessoas acompanharam a solenidade, entre elas autoridades militares e civis dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, convidados, familiares e amigos do V COMAR e da BACO.


Um hotsite específico sobre a reestruturação da FAB foi publicado nesta quinta-feira (15/12) para esclarecer dúvidas a respeito da nova estrutura.

Veja como ficou a estrutura em Canoas:


Esquadrões sediados

- Quinto Esquadrão de Transporte Aéreo - Esquadrão Pégaso (5º ETA);
- Primeiro Esquadrão do Décimo Quarto Grupo de Aviação – Esquadrão Pampa (1º/14º GAV);
- Segundo Esquadrão do Sétimo Grupo de Aviação – Esquadrão Phoenix (2º/7º GAV), transferido da Base Aérea de Florianópolis;
- Grupo de Segurança e Defesa (antigo BINFAE-CO).

Unidades Jurisdicionadas

- Segundo Esquadrão do Primeiro Grupo de Comunicações e Controle – Esquadrão Aranha (2º/1º GCC);
- Primeiro Grupo de Defesa Antiaérea – Esquadrão Laçador (1º GDAAE);
- Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Canoas – Esquadrão Coruja (DTCEA-CO);
- Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Porto Alegre (DTCEA-PA).

Aeronaves

C-95M Bandeirante, C-98A Caravan, C-97 Brasília, P-95M Banderulha, e F-5M Tiger 2 e F-5EM Tiger 2.

Grupamento de Apoio de Canoas


O Grupamento de Apoio de Canoas (GAP-CO) iniciou suas atividades como Núcleo do Grupamento de Apoio de Canoas (NUGAP-CO) em janeiro de 2016 e, a partir de 1º de janeiro de 2017 o NUGAP-CO torna-se GAP-CO. É responsável pela parte administrativa que reúne atividades de Intendência da Aeronáutica. Está situado nas antigas instalações do V COMAR, onde se encontram o Hospital de Aeronáutica de Canoas, a Prefeitura de Canoas, o Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, além dos Serviços de Ensino e Engenharia.

História

V COMAR (1941-2016) - Nove meses após a criação do Ministério da Aeronáutica, no dia 25 de outubro de 1941, foram criadas as Zonas Aéreas com a missão de exercer autoridade militar direta sobre todas as forças, serviços, estabelecimentos e atividades aeronáuticas, dentro dos limites geográficos das respectivas zonas e do espaço aéreo a elas correspondente. Entre elas estava a 4ª Zona Aérea, que já compreendia os três Estados da Região Sul e estava sediada em Porto Alegre. Em março de 1942 passou a ser denominada 5ª Zona Aérea. Em novembro de 1973, as Zonas Aéreas passaram a ser denominadas Comandos Aéreos e, em dezembro de 1973, foi ativado o Quinto Comando Aéreo Regional (V COMAR).


Com o passar do tempo, diversas unidades foram criadas sob sua jurisdição, em virtude da evolução da atuação da própria Força Aérea Brasileira. Assim os Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul chegaram ao século XXI sediando mais de 30 Unidades de Aeronáutica, entre Bases Aéreas (Canoas, Santa Maria e Florianópolis), Esquadrões de Voo, Batalhões de Infantaria, Unidades responsáveis pelo controle do espaço aéreo e comunicações como o Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA II) e os Destacamentos de Controle do Espaço Aéreo, Prefeituras de Aeronáutica, além de um Hospital e de um Serviço de Investigações e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos. O QG do V COMAR desempenhou funções administrativas de apoio às unidades operacionais, bem como coordenou as relações institucionais com a comunidade e órgãos dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

BACO (1944-2016) - A Base Aérea de Canoas tem sua origem no 3º Regimento de Aviação do Exército (3º RAv), transferido de Santa Maria para Canoas em 1937. Com a criação do Ministério da Aeronáutica, em 1941, o 3º RAv foi transferido do Exército para a Aeronáutica e passou a denominar-se Base Aérea de Porto Alegre. Em 21 de agosto de 1944, foi extinto o 3º RAv e criada a Base Aérea de Canoas.

Fonte: Ala 3, por Ten Daniela Etchart
Edição: Agência Força Aérea, por Ten Emília Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]