Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Exército destrói 20 mil armas apreendidas em operações policiais no Rio



O Exército destruiu nesta quarta-feira (7) 20 mil armas apreendidas em cinco anos de operações policiais contra o crime, no Rio de Janeiro. O material inclui pistolas, fuzis e até lança-foguetes de vários países de origem, como Israel e Estados Unidos. Todo o armamento foi destruído por um rolo compressor e os resíduos derretidos em um forno próprio, de alta temperatura.

Antes da destruição, a Polícia Civil separou algumas armas que podem ser reaproveitadas pelos agentes. O coordenador da Coordenadoria de Fiscalização de Armas e Explosivo, Rafael Willis, disse que tirou do monte aquelas que já foram de uso das corporações. A intenção é aguardar a regulamentação do governo federal, autorizando o uso pelas polícias. Em agosto, o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, disse, no Rio, que prepara decreto para regulamentar o reaproveitamento das armas apreendidas, ainda não publicado pelo órgão.

“Na expectativa desse anúncio, separamos as armas que atendem aos padrões das corporações de segurança para não serem destruídas”, informou Willis. Ele explicou que, desde que as armas já sejam de uso das polícias, elas podem ser reaproveitadas. Segundo ele, as armas são pistolas e fuzis calibre 5,56 milímetro. “Não vamos pedir para o Ministério da Justiça uma arma que seja de uso militar, como um lança-foguete”, frisou.

A maior parte do armamento destruído foi apreendido em operações contra o tráfico de drogas, mas há também armas entregues voluntariamente durante a Campanha do Desarmamento. Entre elas, pistolas, revólveres, metralhadoras, espingardas e fuzis.

A operação de destruição, batizada de Rolo Compressor, é coordenada pelo Comando Militar do Leste e envolve 85 agentes das Forças Armadas e das polícias e é uma forma de evitar o extravio de armamentos. De acordo com a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Armas, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, as polícias estaduais e federais, além das Forças Armadas, tiveram ao menos 1.580 armas desviadas no Estado do Rio, entre 2000 e 2010. De acordo com a comissão, com base em documento da Polícia Federal, 640 armas foram roubadas ou desviadas da Polícia Militar entre 2005 e 2015. Outras 1.050 sumiram da Polícia Civil e 17 mil foram desviadas de firmas de segurança privada no período.

Indústria de Defesa & Segurança via Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]