Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

EXÉRCITO PARTICIPA DE EXERCÍCIO PARA CERTIFICAÇÃO DE AERONAVE DESENVOLVIDA PELA EMBRAER E PRODUZIDA NO PAÍS

Campo Grande (MS) – Militares da Brigada de Infantaria Pára-quedista, com sede no Rio de Janeiro (RJ), participaram, entre os dias 11 e 23 de setembro, de etapa de testes de um dos protótipos do KC 390, nova aeronave multimissão que está sendo desenvolvida pela Embraer. É o maior avião militar já produzido no Brasil. A ideia é que a nova aeronave possa substituir, com o tempo, o avião C-130, o “Hércules”, com recursos mais modernos e maior capacidade de carga e velocidade.


O Comandante da Brigada de Infantaria Pára-quedista, General de Brigada Kleber Nunes de Vasconcellos, acompanhou os testes. “Para nós é fundamental essa participação, tendo em vista que essa aeronave vai trazer uma nova dimensão para a aviação de transporte do Brasil e certamente nós seremos beneficiados por isso, porque uma das vantagens da nossa tropa é o deslocamento estratégico. É fundamental o apoio da Força Aérea Brasileira com uma aeronave de grande porte”, salientou.


O diretor do projeto do KC 390 na Embraer, Paulo Gastão Silva, explicou que a empresa está realizando uma série de ensaios e de testes necessários para a certificação do modelo, que conta com dois protótipos. A Força Aérea Brasileira (FAB) deve receber o primeiro avião de linha em junho de 2018. “A participação da tropa paraquedista é essencial, tanto para o desenvolvimento, como para o ajuste fino do projeto e a certificação, já que o lançamento de paraquedistas é uma das principais funções do KC 390”, afirmou.


Já o Coronel da Força Aérea Samir Mustafá, gerente do projeto do KC 390 na Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), destacou que a aeronave trará um incremento na capacidade de fazer operações humanitárias, de transporte aéreo-logístico e de abastecimento em voo. “Esse incremento também se traduz na capacidade de a indústria brasileira desenvolver uma aeronave tecnologicamente avançada, com o potencial de recursos humanos brasileiros sendo utilizados e o incremento da nossa base industrial”, reforçou.

O exercício em Campo Grande empregou, além dos paraquedistas do Exército, militares da FAB, da Marinha e a equipe de profissionais da Embraer. Em 2016, foram promovidos testes semelhantes em Campo Grande, nos quais os participantes, inclusive a tropa paraquedista, puderam fazer sugestões para o modelo. Os dois protótipos do KC 390 devem acumular, ainda, 2.400 horas de voo e a campanha de certificação estará completa no final de 2018.


Agência Verde-Oliva  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]