Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Rússia anuncia envio de mísseis antiaéreos à Crimeia


Em meio à recente tensão com a Ucrânia, Moscou afirma que mais sistemas de mísseis antiaéreos serão alocados na península. Kremlin vem enviando equipamentos militares à região desde sua anexação, há quatro anos.

Uma distensão do conflito atual entre Rússia e Ucrânia não parece estar à vista. Moscou anunciou nesta quarta-feira (28/11) que vai reforçar a defesa da Crimeia, enviando mais mísseis antiaéreos para a península.

Vadim Astafyev, porta-voz do Ministério da Defesa no sul da Rússia, afirmou que um sistema de mísseis antiaéreos do tipo S-400 se somará aos outros três já enviados à Crimeia. O novo sistema deve estar pronto para operar até o fim do ano.

O anúncio foi feito três dias depois de a Guarda Costeira disparar contra três embarcações ucranianas e capturá-las juntamente com sua tripulação no Estreito de Kerch, litoral da Península da Crimeia. Moscou argumenta que os navios ucranianos invadiram ilegalmente as águas territoriais russas e que as tripulações não obedeceram às ordens de parar.

Kiev nega as acusações e declarou estado de exceção em partes do país após o incidente, afirmando temer uma invasão russa. Nesta quarta-feira, autoridades ucranianas divulgaram o que dizem ser a localização exata de suas embarcações no momento dos disparos russos, mostrando que elas estavam em águas internacionais.

Desde a anexação da Crimeia pela Rússia, em 2014, os dois países vivem uma espécie de guerra não declarada, mas o enfrentamento do último fim de semana provocou temores de um grande conflito na região.

Moscou vem enviando constantemente novos equipamentos militares à Crimeia desde a sua anexação, transformando a península no que a mídia apoiada pelo Kremlin chama de fortaleza.

O envio dos novos mísseis S-400 à Crimeia provavelmente já estava planejado há tempos, mas o momento do anúncio parece ter como objetivo transmitir à Ucrânia e ao Ocidente a mensagem de que a Rússia está disposta a defender o que considera ser seu território e suas águas.

Os sistemas de mísseis antiaéreos S-400 alocados na península têm um alcance de até 400 quilômetros, permitindo que a Rússia controle grande parte dos céus sobre o Mar Negro.

Um correspondente da agência de notícias Reuters também observou nesta quarta-feira um navio mineiro da Marinha russa navegando rumo ao Mar de Azov – área de crescentes tensões entre Ucrânia e Rússia.

Relações com os EUA ameçadas

O recente episódio envolvendo ambos os países ameaça um encontro entre os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da Rússia, Vladimir Putin, na cúpula do G20 a ser realizada no próximo fim desta semana em Buenos Aires.

Nesta terça-feira, Trump afirmou que pode cancelar a reunião com Putin devido ao incidente no Estreito de Kerch. O governo dos EUA já havia desaprovado anteriormente o envio de sistemas de mísseis à Crimeia pela Rússia.

O jornal russo Izvestia noticiou que o governo ucraniano tem tentado convencer Washington a abrir uma base militar na Ucrânia – até agora sem sucesso.

Deutsche Welle


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]