Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

domingo, 16 de fevereiro de 2020

Próximo navio-aeródromo da USN terá nome de Doris Miller, herói da Segunda Guerra


Durante uma cerimônia a ser realizada em Pearl Harbor (Havaí), em 20 de janeiro, o Secretário Interino da Marinha, Thomas B. Modly, anunciará que o nome de um futuro navio-aeródromo da classe “Gerald Ford” será dado em homenagem ao Cozinheiro de Terceira Classe Doris Miller, herói da Segunda Guerra.

O anúncio foi feiro durante uma cerimônia no dia de Martin Luther King Jr., destacando as contribuições dos afro-americanos para o esforço americano.

Esse será o segundo navio batizado em homenagem a Miller, e o primeiro navio-aeródromo a receber o nome de um afro-americano. Esse será também o primeiro navio-aeródromo a homenagear um marinheiro por ações realizadas enquanto servia como praça.

“Ao selecionar essa nome, estamos homenageando as contribuições de nossos praças, do passado e do presente, homens e mulheres, de todas as raças, religiões e antecedentes”, disse Modly. “O Dr. Martin Luther King Jr. Disse que “Qualquer um pode ser grande – porque qualquer um pode servir”. Ninguém compreende melhor a importância e verdadeiro significado de servir do que aqueles que se voluntariaram para colocar as necessidades dos outros acima de si mesmo.”

No dia 7 de dezembro de 1941, Miller estava recolhendo roupa suja no encouraçado West Virginia (BB-48) quando começou o ataque japonês. Quando soou o alarme de postos de combate, ele se dirigiu ao seu posto, no paio de uma bateria antiaérea, e descobriu que o local tinha sido destruído pela explosão de um torpedo. Miller for então enviado para o passadiço, para ajudar o comandante, mortalmente ferido, e em seguida guarneceu uma metralhadora antiaérea Browning .50 até acabar a munição. Miller então ajudou a mover muitos outros marinheiros feridos enquanto o navio estava sendo abandonado, devido aos incêndios a bordo também pelo óleo em chamas que provinha do encouraçado Arizona (BB-33), já destruído. O West Virginia perdeu 150 de seus 1.500 tripulantes.

As ações de Miller durante o ataque renderam-lhe um elogio por parte do Secretário da Marinha, Frank Knox, e a medalha Navy Cross, que lhe foi entregue pessoalmente pelo Almirante Chester Nimitz, então comandante da Esquadra do Pacífico.

Nimitz declarou que “Essa é a primeira vez nesse conflito que um tributo tão alto foi concedido pela Esquadra do pacífico a um membro dessa raça, e estou certo que no futuro outros serão homenageados de forma similar por atos de bravura”.

“Doris Miller representou tudo que existe de bom na nossa nação, e sua história merece ser lembrada e repetida onde quer que nosso povo continue hoje em dia sua vigília”, disse Modly.

Em 1943, Miller morreu a bordo do USS Liscombe Bay (CVE-56), quando o navio foi atingido por um torpedo e afundou ao lardo do Atol Butaritari, nas Ilhas Gilbert.

O futuro USS Doris Miller e outros navios-aeródromo da classe “Ford” serão o principal meio de resposta a crises e ajuda humanitário, e a força de ataque decisiva em operações de combate intenso. O navio-aeródromo e o Grupo de Ataque de NAe proverão presença avançada, resposta rápida, permanência em posição e capacidade multimissão ao longo de sua vida útil de 50 anos.

Tradução e Adaptação do Texto original  da United States Navy (USN): Mário Roberto Vaz Carneiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]