Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

terça-feira, 20 de outubro de 2020

Penitenciária Federal em Brasília é a primeira do país a receber carros operacionais blindados modelo EE-11 URUTU

O Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN), em parceria firmada com o Exército Brasileiro, recebeu nesta segunda-feira (19), no Comando Militar do Planalto, dois carros operacionais blindados, modelo EE-11 Urutu, que serão utilizados em ações de segurança e exercícios de defesa nas áreas externa e interna da Penitenciária Federal em Brasília (PFBRA).


A iniciativa é inédita no universo do sistema penitenciário brasileiro, e faz parte da comemoração do aniversário de dois anos da inauguração PFBRA, que será a primeira penitenciária do país a ser guarnecida por esses veículos, que serão operados pelos próprios agentes federais de execução penal.


Para tanto, os agentes passaram por um estágio de manutenção preventiva e condução dos Urutus, ofertado pelo Exército Brasileiro, e estão aptos a desenvolver missões nas mais diversas condições.

O recebimento dos carros de combate faz parte de um projeto piloto, que poderá ser estendido às outras quatro unidades do Sistema Penitenciário Federal (SPF).

Antes de serem entregues, os veículos passaram por minuciosa revisão e manutenção, receberam pintura maciça na cor preta e estão prontos para o uso.

A exemplo do que ocorreu com o BOPE (Batalhão de Operações Especiais) do Rio de Janeiro, que também opera com os Urutus, os veículos recebidos pelo DEPEN sofreram adaptações que possibilitaram a transição para uso civil no perímetro externo da Penitenciária.

Os Urutus começaram a ser fabricados na década de 70, pela Engesa. De lá para cá esses carros de combate receberam diversas modificações e atualizações.

O SPF - Há 14 anos o Sistema Penitenciário Federal é referência em Segurança Pública nas esferas nacional e mundial. Desde sua implementação, em 2006, recebe os presos de maior periculosidade do país, sobretudo líderes de facções criminosas.

Neste período não foram registradas fugas, rebeliões e nem a entrada de materiais ilícitos nas unidades do SPF.

Sua missão é “Combater o crime organizado, isolando suas lideranças e presos de alta periculosidade, por meio de um rigoroso e eficaz regime de execução penal, salvaguardando a legalidade e contribuindo para a ordem e a segurança da sociedade”.

Além da Penitenciária Federal de Brasília, as demais unidades federais de execução penal, que compõem o SPF, estão localizadas em Catanduvas (PR), Campo Grande (MS), Mossoró (RN) e Porto Velho (RO).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]