Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

quinta-feira, 24 de junho de 2021

VÍDEO: Depois de 65 Anos operando em Hatzor, Esquadrão 101 (“First Fighter”) da Força Aérea de Israel troca de casa

HISTORIA
: Depois de 65 anos operando a partir da Base Aérea de Hatzor, no sul de Israel, o Esquadrão 101 (“First Fighter”) mudou-se para sua nova casa no Norte, em Ramat David.



Na manhã de segunda-feira (21/06), os Lockheed Martin F-16C/D “Barak” do Esquadrão 101 decolaram de da Base Aérea de Hatzor pela última vez, e foram recebidos em seu novo lar — a Base Aérea de Ramat David — após um sobrevoo de celebração. Juntamente com as aeronaves, os membros do esquadrão deixaram as instalações históricas que foram a casa do pessoal da unidade pelos últimos 65 anos, e também se deslocaram para o norte.


“O Esquadrão 101 tem grande significado nacional. O Esquadrão decolou pela primeira vez com pilotos que não falavam hebraico, e alguns dos aviões nem tinham equipamento de comunicação”, disse na cerimônia o Comandante da Força Aérea de Israel (IAF), Major-General Amikam Norkin. “A IAF está em mudança constante para manter sua importância. Se não nos adaptarmos e progredirmos, ficaremos para trás.

Estou muito orgulhoso de cada um de vocês. Há muitos desafios à frente, mas tenho confiança de que continuaremos a encará-los nos padrões mais elevados”.


A decisão de reposicionar o esquadrão foi tomada há mais de um ano, como parte do enxugamento da IAF e como preparação para desafios futuros. Além do Esquadrão 101, também o 105 (“Scorpion”) fará em breve a transição para Ramat David, reunindo-se ao esquadrão irmão, o 109 (“The Valley”). Concentrar num só local todos os esquadrões de F-16C/D da Força Aérea de Israel (IAF) melhorará o aprendizado mútuo e a capacidade operacional, bem como a capacidade da Base Aérea de Ramat David de enfrentar várias ameaças na arena setentrional.

Fazendo história


O primeiro avião do Esquadrão 101 pousou em Hatzor em novembro de 1948. Na ocasião, a unidade era o primeiro e único esquadrão de caça da IAF, e a despeito de só existir há um ano, já estava na segunda transição para uma nova base. “Começamos nossa jornada aqui há mais de 73 anos”, disse o Tenente-Coronel G., Comandante do esquadrão. “Desde então, já mudamos e retornamos, mas deixamos uma tradição rica em Hatzor”.


Naquela época, apenas seis meses depois de se mudar para Hatzor, o esquadrão foi novamente relocado e, exatamente como nos dias atuais, transferido para a Base Aérea de Ramat David. Em sua nova base, o esquadrão foi alterado e se tornou o que é hoje, passando de um esquadrão de “Machalniks” (voluntários estrangeiros) a um esquadrão completamente israelense.

“Passamos grandes anos em Ramat David, e de certa forma estamos voltando às nossas raízes”.

“Tomada a decisão para a transferência, fomos para Ramat David para avaliar as instalações da base. Renovamos os hangares e reformamos grande parte da estrutura. Entendemos que tudo que não tratarmos com antecedência pode afetar nosso desempenho por anos, e isso nos motivou a fazer tudo com a maior dedicação”, explicou o Major A., oficial técnico no esquadrão. “É uma grande responsabilidade, e uma oportunidade perfeita para melhorar — tornamo-nos um departamento técnico mais forte e mais eficiente, graças a esse processo e ao novo pessoal que estamos incorporando em Ramat David”.

Mudando


O Esquadrão 101 tem operado a partir da Base Aérea de Hatzor desde 1956. “Hatzor é nossa casa, portanto a mudança é doce e amarga ao mesmo tempo. De um lado, trabalhamos duro para preparar para a mudança, e estamos excitados por esse novo capítulo”, disse o Tenente-Coronel G. “Por outro lado, estamos deixando atrás uma herança de 65 anos, dobrando a bandeira juntamente com muitas lembranças — não é fácil”.

Na noite passada (domingo), a Base Aérea de Hatzor se despediu do esquadrão uma emocionante cerimônia de dobragem da bandeira. “Nesse momento, estamos encerrando um capítulo significativo da história do Esquadrão 101”, disse o Tenente-Coronel G. em seu discurso. “Enquanto fazemos isso, olhamos para trás e vemos a rica herança do esquadrão, e olhamos para a frente com ansiedade, para o nosso futuro no Norte. Quando nos foi passada a desafiadora tarefa de mudar para uma nova base, encaramos o desafio de frente, e conseguimos manter a continuidade operacional até o último momento — incluindo a operação contínua durante a recente “Guardian of the Walls”, a operação em Gaza”.

“Tivemos uma oportunidade de começar do zero e estabelecer novos objetivos e padrões”, disse o Major G., oficial de projetos e piloto do esquadrão. “Teremos mais importância na arena setentrional, e receberemos novas munições”. A despeito da oportunidade de mudança e de melhoramentos, o comandante do esquadrão acredita que é importante manter o caráter ímpar do Esquadrão 101. “Estou extremamente orgulhoso do esquadrão — ele tem grandes qualidades operacionais, e nossos membros estão comprometidos a executar qualquer tarefa. Meu trabalho é assegurar que isso não mude.

É o nosso pessoal, e não a localização ou a tecnologia, o que faz nosso esquadrão especial”.

Um dos maiores desafios na transferência do sul para o norte de Israel é o pessoal, pois muitos construíram toda sua vida em torno do esquadrão, e precisam se mudar com suas famílias e filhos para um novo local. “Trabalhamos duro para encontrar soluções para todos os nossos membros”, disse o Tenente-Coronel G. “Para alguns, isso significa permanecer no Sul numa nova função, mas a maioria está se mudando para o norte conosco — todo o pessoal entendeu o significado e a responsabilidade de sua tarefa.

Ajudamos a todos no processo inteiro, e isso é o que assegurou o sucesso”.

Tradução e Adaptação do Texto: Mário Roberto Vaz Carneiro. Assuntos Militares


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]