Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

quinta-feira, 4 de novembro de 2021

Na SITDEF, a Rússia mira nos programas de defesa do Peru

A Rosoboronexport, estatal russa que atua como intermediária nos programas de exportação de material de defesa, está participando da feira peruana SITDEF com um pavilhão no qual etão sendo promovidos mais de 300 itens de empresas variadas, como: Almaz-Antey Air and Space Defense Corporation, Kronshtadt Company, United Aircraft Corporation (UAC), High Precision Weapons (HPW) e Russian Helicopters (RH), entre outras. Essa é a sétima edição do evento, que está acontecendo em Lima de 28 a 31 de outubro.

“A Rosoboronexport aprecia muito o nível de cooperação técnico-militar entre a Rússia e o Peru. O país tem sido um antigo e confiável parceiro, que emprega com sucesso aviões, helicópteros, blindados e sistemas anticarro russos”, disse Alexandre Mikheev, Diretor-Geral da Rosoboronexport, acrescentando: “Estamos prontos a desenvolver uma cooperação mutuamente benéfica no interesse das Forças Armadas peruanas, bem como das forças policiais e especiais. Durante a feiram também discutiremos com nossos parceiros a cooperação no treinamento de pessoal na operação de armamento russo, bem como outros assuntos, como manutenção pós-venda de equipamento adquirido”.

A cooperação teve início nos anos 1970, quando centenas de carros de combate pesados T-55, originalmente destinados ao Chile, foram redirecionados para o Pero quando o General Pinochet foi deposto. A isso seguiram=se numerosas entregas de equipamentos militares para todos os ramos das Forças Armadas peruanas. Atualmente, equipamento russo e ex-soviético forma a espinha dorsal da Força Aérea (FAP) e do Exército do país.

A FAP tem 18 caças MiG-29, de várias versões, e 18 aviões de ataque Su-25K/UBK, que precisam ser manutenidos e modernizados. O parque de sistemas de defesa aérea inclui seis sistemas Pechora S-125, bastante antigos. Situação semelhante acontece com as forças blindadas, nas quais 280 carros de combate T-55 e dúzias de viaturas BTR-50/60 e BRDM precisam ser substituídos ou substancialmente modernizados. A FAP e a aviação do Exército foram bastante modernizadas com mais de 60 helicópteros de transporte e de combate Mi-17 e Mi-171, das fábricas Kazan e Ulan-Ude (ambas subsidiárias da RH), fornecidos pela Rosoboronexport, bem como 18 helicópteros de ataque Mi-25D e Mi-35P da Rostvertol. Para manutenir essa frota, em 2018 a RH estabeleceu um centro de manutenção de helicópteros em Lima.

O mais moderno armamento do arsenal do Exército peruano é composto por um lote de cerca de 300 mísseis anticarro 9M113 Kornet-E da Shipunov KBPO Design Bureau, subsidiária da HPW. Não é necessário dizer que a feira destaca o Kornet-EM (Foto: KBP/HPW), versão modernizada, com maior alcance, e o sistema antiaéreo de canhões e mísseis Pantsir-S1 (Foto: Yuri Laskin), um dos produtos mais vendidos da KPB/HDW.

A Rússia também está promovendo uma variedade de aeronaves de combate Su e MiG, além do treinador Yak-130, bem como uma linha de produtos de defesa antiaérea e blindados, bem como o SARP Orlan-10E. A longa história de sucesso da cooperação russo-peruana pode ter um capítulo adicional, caso, por exemplo, o Peru seja o cliente inicial do Pantsir-S1 e do S1M na América Latina (Texto: Yuri Laskin).

Revista Segurança & Defesa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]