Slider

Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira Foto: Ricardo Pereira

16 de dezembro de 2023

DCTA realiza a primeira fase da Avaliação Operacional F-39E Gripen

O Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) realizou, de 04 a 08 de dezembro, a primeira fase da Avaliação Operacional (AVOP) contratual do F-39E, na Base Aérea de Anápolis (GO). A Operação foi executada por militares do Comando de Preparo (COMPREP), da Diretoria de Material Aeronáutico e Bélico (DIRMAB), do Parque de Material Aeronáutico de São Paulo (PAMA-SP) e do Laboratório de Logística do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (AeroLogLab-ITA), tendo ainda a participação do Primeiro Grupo de Defesa Aérea (1º GDA), do Grupo Logístico (GLOG-AN) e do Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI).

Uma AVOP decorre da necessidade de verificar a efetividade e adequabilidade para a missão a qual o produto adquirido está destinado, quando empregado no ambiente operacional brasileiro, no início do ciclo de vida, em conformidade com a DCA 400-6 – Ciclo de Vida de Sistemas e Material da Aeronáutica. Para o Gripen, o Contrato nº 003/DCTA-COPAC/2014 prevê uma AVOP após o recebimento das primeiras aeronaves de série em cada nova configuração. Portanto, cada vez que esse projeto receber atualizações que incrementem as suas missões, será necessário realizar uma AVOP.

Segundo a Coordenadora Geral da Operação, Tenente-Coronel Engenheira Thais Franchi Cruz, “um aspecto inédito da AVOP do F-39E é a união de três atividades distintas: Verificação Técnica (VT), Validação Operacional (VO) e Validação Logística (VL), e já nessa primeira fase executada foi notável mais integração, proatividade e sinergia entre as equipes técnicas, operacionais e logísticas.”

Essa primeira fase avaliou a versão Basic Capability (BC) e consistiu de uma VO e VL simulando deslocamento e operação de aeronaves fora de sede. "A AVOP relativa à capacidade de Deployment do F-39E representou mais um importante marco no projeto F-X2. Sob o enfoque operacional, pode-se afirmar que esse evento simbolizou a reunião de militares das áreas técnica, logística e operacional em prol da maximização da operação da aeronave", destacou o Comandante do 1º GDA, Unidade Aérea operadora do avião, Tenente-Coronel Aviador Gustavo de Oliveira Pascotto.

“A AVOP é o início da operacionalidade do Projeto; é quando começamos a ter certeza de que o que foi testado em um ambiente controlado durante o desenvolvimento, funciona no teatro de operações real”, concluiu o Coordenador Logístico da primeira VL do Gripen, Capitão Engenheiro Carlos Monteiro Barbosa Filho. Na AVOP, a equipe logística finalizou a lista de itens para serem levados em uma operação de F-39E fora de sede, realizando, inclusive, toda a paletização da carga.

Para o Gerente Operacional do Gripen e Coordenador Operacional da AVOP, Tenente-Coronel Aviador Felipe Bombarda Guedes, “durante a primeira VO do Gripen fizemos os testes no ambiente operacional, por pilotos do 1º GDA, simulando condições corriqueiras da aeronave e seus sistemas. Foi a primeira vez que tal avaliação foi feita nos moldes adotados para o Gripen, servindo como um caso de boas práticas também para a implantação de futuros Projetos da FAB, a fim de garantir que os equipamentos e sistemas serão implantados e operados na sua máxima eficiência, do jeito que a FAB e que o Brasil merecem”, finaliza.

Fonte: DCTA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

[Fechar]